Incêndio destrói o Museu Nacional no Rio de Janeiro, que tinha cerca de 20 milhões de itens
O incêndio repercutiu na imprensa internacional, como na BBC, Forbes e Dailymail.

O Museu Nacional do Rio de Janeiro, que foi criado por Dom João VI, em 1818, foi atingido por um incêndio na noite deste domingo, 2 de setembro. o museu é a mais antiga instituição cientifica do país, e em seu acervo tinha haviam de 20 milhões de itens.

Quando o incêndio começou por volta das 7h30 da noite, o museu já estava fechado para visitação. O Corpo de Bombeiros do Rio foi chamado pelos quatro vigilantes que estavam no prédio. A assessoria do museu confirmou que não houve feridos.

Entre os itens históricos, está o fóssil humano mais antigo encontrado no Brasil, batizado de Luzia e a reconstituição de sua face, que faz parte da coleção de Antropologia Biológica. Todo o acervo do museu, foi formado ao longo de 200 anos, por escavações, doações, coletas e aquisições. Inclusive foi a Família Real que deu início as coleções.

O presidente Michel Temer lamentou: "Incalculável para o Brasil a perda do acervo do Museu Nacional. Hoje é um dia trágico para a museologia de nosso país". Kátia Bogéa, presidente do IPHAN, também lamentou o ocorrido: "É uma tragédia nacional e mundial. Todo mundo está vendo que é uma perda não só para o povo brasileiro mas para toda a humanidade". 

Ela ainda disse: "É uma tragédia anunciada que há muito tempo a gente sabe que o patrimônio cultural brasileiro não tem recurso e não tem pessoal".

(Imagem: Reprodução/Internet)

QUAL A SUA REAÇÃO?

Facebook Conversas