Para o ministro Marco Aurélio, decisão da Justiça de retirar especial do Porta dos Fundos é censura
Ele comentou o caso para uma coluna do jornal O Globo.

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, falou sobre a decisão da Justiça do Rio de Janeiro, que ordenou a retirada do especial do Porta dos Fundos, 'A Primeira Tentação de Cristo', da Netflix.

Em entrevista para a coluna de Bernardo Mello Franco no Jornal O Globo, o ministro Marco Aurélio, admitiu que a decisão caracteriza uma censura. 

"É uma barbaridade. Os ares democráticos não admitem a censura", diz ele.

O pedido na Justiça foi feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. Inclusive, em primeira instância, o pedido havia sido negado. Quem expediu a decisão liminar, foi o desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio.

"Por todo o exposto, se me aparenta, portanto, mais adequado e benéfico, não só para a comunidade cristã, mas para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã, até que se julgue o mérito do Agravo, recorrer-se à cautela, para acalmar ânimos, pelo que concedo a liminar na forma requerida", diz o magistrado.

(Imagem: Nelson Jr./SCO/STF)

QUAL A SUA REAÇÃO?

Facebook Conversations